“Minha arte é uma mistura do meu corpo-alma com esse mundo. São meus infinitos. 

Minhas obras são retalhos de mim
Toda vez que alguém olha para uma das minhas obras
Me tem inteiramente nas mãos”                

Brenda Freires

Brenda Freires . 1999 . Do Rio de Janeiro para além do mundo

Filha de Marqueline Freires, uma mulher forte e mãe solo.
Neta de Maria da Penha, costureira e artesã.
Neta de Lúcia, professora de matemática e artesã.
Dessas três mulheres Brenda aprendeu a como expressar seus sentimentos artisticamente.

Primordialmente através da pintura, o trabalho de Brenda Freires apresenta uma rica pluralidade em suas técnicas e significados. Por entre suas telas, Brenda constrói histórias acerca do seu mundo real e imaginário. Um não existe sem o outro. O real e imaginário se misturam aos tons de azul, roxo e vermelho de suas aquarelas e acrílicos.

Um processo que ela mesmo chama de “viagem atemporal”, que propõe reflexões sobre seu corpo, sua auto imagem e seu cotidiano dentro de situações atemporais. Passado, presente e futuro se entrelaçam em suas poéticas.

A centralização da sua figura enquanto mulher preta atravessada por sentimentos, inquietações e tensões psicológicas e emocionais.

“Gosto de definir meu trabalho como uma grande viagem
Uma viagem há vários multiversos de uma só pele
A minha”